quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Esquece o nome, olha o preço...


- Vamos nos encontrar na sexta-feira? - sou eu que faço a indagação pelo bate-papo, na internet.

Na outra ponta está o Humberto, companheiro que não vejo há quase um ano. E quando nos encontramos, em abril do ano passado, foi em BH, com outros companheiros que estudaram com a gente na cidade, para matar as saudades e ir pros botecos, coisas que gostamos demais da conta.

Humberto perguntou onde, mas agora estávamos marcando de nos encontrar em Brasília. Claro que eu pedi para ele sugerir, afinal ele vive atualmente na cidade e tem os seus lugares preferidos. Eu vivi na cidade até 2005, então estava crente de que vários bares que frequentava talvez nem existissem mais, ou estivessem modificados demais para eu reconhecê-los.

- Tem um bar na 302 norte que se chama Cheiro Verde

- Não tinha outra cor pra este cheiro, não? - retruco, como boa corinthiana que sou.

- Também não gosto muito do nome, porque você sabe que gaúcho não é muito chegado em cheiro verde – afirma Humberto.

Mas aí vem a frase decisória:

- Mas a cerveja lá é bem em conta, R$ 5,00 o litrão – afirma Humberto.

Ôpa! Esta é a chave da combinação. Cerveja em conta é comigo mesmo. Deixa o nome do bar pra lá. Já chamei o Tiago pra colar junto. E vamos lá na sexta!

Há dois erros na conversa acima. Primeiro, o bar não é na 302 norte, é na 303 norte, na quadra comercial. Se você é de São Paulo ou de qualquer outra cidade, não me pergunta o nome da rua, porque em Brasília endereço é assim mesmo. E o segundo erro é que a cerveja não custa R$ 5,00 o litrão. Simplesmente custa R$ 4,25! Tudo de bom, né, gente?


Ai! Que imagem linda!


Ah! Quando eu vi a placa na entrada do bar o sorrisão brotou no rosto. Quem me conhece sabe como é. E assim encontrei o Tiago e o Humberto para colocar o papo em dia. 


Lugar tranquilo, simples e com cerveja barata. Precisa mais?


O Cheiro Verde é um bar e restaurante. À noite é mais bar. Simples e bonitinho, definiria assim. É um lugar muito, mas muito tranquilo, sem cotoveladas, tem garçons que te atendem rápido, tem cervejas bem geladas. E não tem filas no banheiro, como eu havia imaginado quando o Humberto falou o preço da cerveja. Aliás, tô chegando à conclusão de que em Brasília apenas alguns se importam com o preço da cerveja. No caso, gente como a gente, que adora bar e tá boquiaberto com a alta dos preços e a baixa nos bolsos.



O nome vai mudar!

Se bater uma fome, peça espetinhos. É o que tem de mais acessível. Infelizmente a dupla cerveja e comida barata ao mesmo tempo é difícil de encontrar. Os espetos são bem feitinhos. Pedi um de carne com bacon e outro de linguiça apimentada, que chegaram à mesa bem apresentados.


Os espetinhos são deliciosos!
Vale a pena pedir.















Gostei do lugar. Só a mistura de músicas me deixou um pouco cismada, pois vai de Legião ao brega. Mas ouvido de quem gosta de bar e de cerveja barata tem o incrível poder de abstrair estas coisas. E continuamos no bom papo. Tiago disse que antes havia bom som ao vivo ali. O pessoal da casa diz que parou pra uma reforma, mas vai voltar.

Também disseram que vai mudar o cardápio e que vão se dedicar a especializar em carne de sol. Mas e a cerveja? O preço continuará o mesmo, segundo afirmaram. Que bom. Espero que continue, porque o principal atrativo para ir ao bar foi este. Pra fechar, o nome do bar vai mudar também. Vamos ver como é que fica. Se for pra ficar ainda melhor, que venha!


2 comentários:

  1. Entro aqui e fico sempre com vontade de uma ceva trincando!

    para quem quiser uma leitura para acompanhar um drink: todocontocontatudo.blogspot.com

    Abraçoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já espiei o blog do Eduardo. É muito bom!

      Excluir

Muito agradecida!